Procurar
Menu Menu

Devemos normalizar as pausas regulares nas redes sociais?

O ator Tom Holland anunciou que fará uma pausa nas redes sociais por causa de sua saúde mental. Sua abertura marca um ponto de virada em nossas atitudes em relação à ansiedade, depressão e internet – particularmente entre os homens jovens?

Celebridades anunciando sua retirada do Instagram e Twitter não é novidade. Especialmente quando o hiato é motivado por uma preocupação com a saúde mental. Mas essas próprias admissões públicas de luta pessoal são frequentemente compartilhadas por mais mulheres, estrelas trans e não-binárias do que homens cis.

Esta semana, no entanto, o ator Tom Holland (26) compartilhou que estava se retirando do Twitter e do Instagram, pois os achava 'superestimulantes' e 'esmagadores'.

A Holanda fez o anúncio via um vídeo do Instagram, que foi postado para seus 67 milhões de seguidores. A legenda de Holland promoveu uma instituição de caridade 'Stem4', dedicada a incentivar a saúde mental positiva entre os adolescentes.

“Neste breve retorno ao Instagram, pensei que seria uma ideia muito importante e boa para esclarecer uma instituição de caridade que patrocinamos”. Holland elogiou as 'conferências de saúde mental' da Stem4 por ajudar crianças pequenas que 'sofriam' de questões como ansiedade e depressão.

"Amor a todos vocês, e vamos falar sobre saúde mental", escreveu Holland.

O vídeo foi bem recebido entre os fãs, que deixaram votos de felicidades e comentários calorosos no post. 'Por favor, tome todo o tempo que precisar', disse um. 'O que mais importa é o seu bem-estar'.

A declaração de Holland ocorre quando as lutas de saúde mental com homens jovens estão em alta. Rob Whitley, da Universidade McGill no Canadá, descreveu as taxas de problemas de saúde mental em homens jovens como um 'crise silenciosa', com os homens respondendo por cerca de 70% dos suicídios em todo o mundo.

Mas o número de homens cis no centro das atenções que compartilharam suas lutas pessoais de saúde mental vem crescendo constantemente.

Justin Bieber ajudou a mudar o estigma em torno da saúde mental dos homens com uma série de declarações públicas sobre suas próprias experiências.

Bieber foi sincero sobre sua luta contra a depressão, dizendo em 2020 que aprendeu ao longo dos anos 'que todos nós passamos por nossos altos e baixos, e todos precisamos de ajuda às vezes'. Bieber foi uma das muitas estrelas a compartilhar apoio ao post de Holland esta semana, comentando 'Love you man' abaixo do vídeo.

Embora as discussões sobre saúde mental – particularmente a de homens cis-brancos – tenham se tornado um pouco menos tabu, declarações como a de Holland estão levantando a questão de quão necessárias são as pausas nas mídias sociais.

A correlação entre as mídias sociais e nossa saúde mental tem sido explorada desde que essas plataformas foram introduzidas pela primeira vez. Projetado para ser viciante e comprovado para aumentar a ansiedade e depressão, as mídias sociais são constantemente criticadas.

E, no entanto, as grandes plataformas ainda estão monopolizando nossas vidas, desde a cultura que consumimos, passando pelo cenário financeiro que navegamos, até a saúde do próprio planeta. No ano passado, o Instagram fez aproximadamente US$ 46.6 bilhões em receita, enquanto o aplicativo de rápido crescimento TikTok faturou US$ 4.6 bilhões.

O sucesso que esses aplicativos desfrutam diante da reação negativa é uma prova de seu design. Ao liberar dopamina no cérebro de seus usuários, plataformas como TikTok e Instagram são inerentemente viciantes e nos mantêm voltando para mais, mesmo quando sabemos que não é do nosso interesse.

O anúncio da Holland e o apoio subsequente seguem uma recente mudança de atitude em relação às mídias sociais entre seus usuários mais prolíficos. Este mês, celebridades divulgaram as últimas atualizações do Instagram, que muitos sugerem ser uma tentativa do aplicativo de se tornar mais parecido com a plataforma concorrente TikTok.

Estrelas como Kylie Jenner, que tem 360 milhões de seguidores no Instagram, compartilharam novamente uma postagem viral que dizia 'Faça o Instagram Instagram novamente (pare de tentar ser TikTok, eu só quero ver fotos fofas dos meus amigos)'.

A postagem faz alusão ao influxo de conteúdo pago nas plataformas de mídia social, que destruiu seu elemento comunitário.

Embora a decisão de Tom Holland de romper com o Instagram e o Twitter prove que temos um caminho a percorrer para voltar ao ponto em que começamos – usando as mídias sociais para se conectar com entes queridos e compartilhar trechos de nossas vidas – a abertura de figuras públicas e a resposta calorosa por suas legiões de fãs, prova que certamente queremos.

Quando celebridades como Tom Holland falam sobre suas próprias lutas com as mídias sociais, isso nos lembra que o vício em internet não deve ser uma fonte de vergonha.

Mas o mais importante, aumenta a conscientização sobre como esses aplicativos afetam nossa saúde mental – abrindo a porta para discussões mais honestas sobre nosso bem-estar, principalmente entre grupos (como homens cis) que são menos propensos a ter essas conversas.

 

Boletim informativo Thred!

Inscreva-se no nosso boletim informativo para o planeta positivo

Acessibilidade