Menu Menu

Como a IA está impactando nosso sistema educacional

O advento da IA ​​e a proliferação das mídias sociais trouxeram mudanças significativas em vários aspectos de nossas vidas, incluindo a educação. 

Embora os avanços tecnológicos da IA ​​tenham aberto novos caminhos para o aprendizado, eles também introduziram desafios imprevistos.

Um desses obstáculos improváveis ​​surgiu na forma de exames escolares no Reino Unido. Os alunos estão usando sistemas de IA como ChatGPT e Snapchat AI para enganar em questões dissertativas e trabalhos de curso.

Além disso, a proliferação de informações falsas nessas plataformas, reforçada pelo surgimento da IA, resultou na produção de provas falsas.

Alguns alunos estão dispostos a pagar centenas de libras para obter o que eles acham que são documentos legítimos.

Relatórios recentes sugerem que os alunos, sob imensa pressão para se destacar, estão recorrendo à compra de provas falsas em uma tentativa desesperada de garantir boas notas.

Essa tendência não apenas levanta preocupações sobre o impacto negativo da IA ​​e das mídias sociais na educação, mas também lança luz sobre a crescente pressão que os alunos enfrentam no ambiente acadêmico atual.

A IA e as mídias sociais, sem dúvida, revolucionaram a maneira como acessamos informações e nos comunicamos.

No entanto, eles também criaram um ambiente onde as informações podem ser facilmente manipuladas e disseminadas sem o devido escrutínio.

Plataformas como o Snapchat, com sua natureza efêmera, fornecem um terreno fértil ideal para a distribuição de conteúdo ilícito, incluindo provas falsas. Com apenas alguns cliques, os alunos podem acessar e comprar esses papéis, comprometendo potencialmente a integridade do sistema educacional.

Algoritmos baseados em IA, projetados para maximizar o envolvimento do usuário, muitas vezes levam os alunos a uma toca de coelho de recursos educacionais enganosos e duvidosos.

O que é realmente enervante, no entanto, é o poder da IA ​​de se basear na interação do usuário. Ao analisar nossos padrões de navegação, os algoritmos de IA podem gerar conteúdo personalizado que atenda às nossas preferências.

Isso cria uma câmara de eco que reforça o desejo por atalhos e materiais fraudulentos. Como resultado, os alunos ficam presos em um ciclo de desinformação.

Os jovens são talvez o grupo demográfico mais vulnerável quando se trata de IA, não apenas porque são facilmente influenciados, mas porque seu envolvimento próximo com as mídias sociais e a Internet significa que eles têm maior probabilidade de interagir e experimentar IA do que outras faixas etárias.

Embora o aumento de provas falsas no Snapchat seja preocupante, também serve como um lembrete da imensa pressão que os alunos enfrentam no sistema educacional atual.

Desde cedo, os alunos são submetidos a uma busca incansável pelo sucesso acadêmico, muitas vezes medido apenas pelos resultados dos exames. Esse ambiente de alto risco, combinado com a intensa competição por oportunidades limitadas, está levando os jovens britânicos ao limite.

Em uma época em que as expectativas da sociedade e as aspirações dos pais pesam sobre os ombros dos jovens, esses atalhos para o sucesso devem levar educadores, formuladores de políticas e a sociedade como um todo a avaliar criticamente o impacto de tais pressões na saúde mental e no bem-estar dos alunos.

O surgimento de provas falsas no Snapchat deve servir como um alerta para enfrentar os desafios multifacetados trazidos pela IA e pelas mídias sociais na educação.

É crucial aumentar a alfabetização digital entre os alunos, ensinando-os a avaliar criticamente as informações on-line e a distinguir entre fontes confiáveis ​​e fraudulentas.

Mas talvez haja uma fresta de esperança em meio a esse cenário educacional sombrio.

O advento da IA ​​pode ser assustador, em grande parte devido ao quão desconhecido é. Mas os esforços drásticos dos alunos para desempenhar de acordo com os parâmetros de exames tradicionais podem ser o empurrão que os formuladores de políticas precisam para finalmente se afastar dos exames padronizados.

Ao promover métodos alternativos de avaliação que se concentram na aprendizagem holística, na criatividade e no pensamento crítico, podemos aliviar a intensa pressão que os alunos enfrentam e incentivar uma experiência educacional mais equilibrada e significativa.

Há muito é sabido pelos pais que cada criança aprende de maneiras diferentes. Os alunos precisam de uma educação única e personalizada que lhes permita prosperar.

A proliferação de provas falsas no Snapchat ressalta o lado negro da IA ​​e o impacto da mídia social na educação.

Embora esses avanços tecnológicos tenham indubitavelmente revolucionado o aprendizado, eles também criaram um ambiente propício para a exploração de alunos vulneráveis.

Mas, no final, talvez essas ameaças digitais possam marcar um ponto de virada há muito esperado em nosso sistema educacional.

Acessibilidade