Procurar
Menu Menu

6 contas de moda sustentável para seguir em 2022

Entre as variantes do Covid, um aumento inquietantemente acentuado no custo de vida e um carrossel de festas em Downing Street, 2022 pode parecer o ano de mudanças indesejadas. Mas também é uma oportunidade para implementar novos hábitos positivos.

Talvez você pretenda ler mais, aprender um novo idioma ou lutar por um objetivo profissional este ano.

Mas além do crescimento pessoal, também existem novas práticas que podem mudar nosso mundo para melhor. Com a mudança climática uma ameaça cada vez maior, o foco em mudanças positivas começou a chamar a atenção para a indústria da moda.

A Geração Z está abandonando o fast fashion e se voltando para peças de investimento, parcimônia e plataformas de aluguel. As lojas de moda estão falando sobre o lado sombrio da indústria como nunca antes, criando demanda por transparência da marca quando se trata de linhas de produção e modelos de negócios cíclicos.

Apesar dessa conversa em constante mudança, o cenário da moda sustentável muitas vezes pode parecer esmagador, repleto de arenques vermelhos e anilhas verdes. As mídias sociais ainda costumam favorecer marcas de fast fashion como Pretty Little Thing e Missguided, graças a acordos lucrativos de relações públicas com grandes influenciadores.

Mesmo quando essas empresas ultra-antiéticas são castigadas publicamente, nomes intermediários como Zara, H&M e até marcas pseudo-sustentáveis ​​como Ganni costumam se safar com práticas menos do que saborosas. Isso se deve, em grande parte, à falta de educação pública sobre o impacto real da indústria da moda na formação de nosso mundo.

Então, com isso em mente, aqui estão seis contas de moda incríveis para seguir este ano. Seja para se educar sobre moda lenta, obter inspiração de estilo ou simplesmente romper o pessimismo sombrio que domina nossos feeds do Instagram, esses indivíduos inspiradores sabem uma coisa ou duas sobre como mudar seus hábitos de moda para melhor e – o mais importante – divirta-se ao fazê-lo.

Trash4gold (TRASH MAG)

Trash4gold é o Instagram de moda perspicaz e verdadeiramente louco pelo qual seu coração sustentável anseia.

Dirigido por Chekii (Francesca) Harling, um graduado em comunicação de moda que escreveu para Selfridges, Guardian Fashion e iD mag, Trash4gold é a progênie da publicação de moda de Chekii TRASH MAG - uma revisão grossa da indústria da moda que abre a tampa para tudo desde sua duvidosa história ética até os habilidosos designers, fabricantes e manifestantes que a reescreveram.

Anciela_london

De jornalista de moda a designer de moda, Anciela é uma marca sediada em Londres fundada por Jennifer Droguett em 2018.

A marca combina 'folclore colombiano com um toque moderno', com base na infância de Droguett na América do Sul.

As roupas de Aniela, e por extensão suas imagens, são uma carta de amor para Arte, dança e música latinas, celebrando as pontes de tempo e espaço que constituem nossa cultura global.

A melhor coisa sobre Anciela, no entanto? A ênfase nas histórias por trás de nossas roupas. Destacando os tempos, lugares e pessoas que tecem nossas mercadorias, Anciela fará com que você veja as coisas que veste como extensões de sua identidade e um meio de construir conexões verdadeiramente significativas com o mundo ao seu redor.

Greengirlleah

Leah Thomas, conhecida na internet como 'Green Girl Leah', é uma autodenominada 'ambientalista interseccional'. Leah canalizou o amor pela escrita e a criatividade para desfazer o racismo ambiental. Sua plataforma busca aumentar a conscientização sobre a injustiça ambiental, ao mesmo tempo em que promove a inclusão na educação ambiental.

Se você está se sentindo sobrecarregado com o mundo da moda verde e com a sustentabilidade de forma mais ampla, o Instagram de Leah é a saída perfeita para cortar o paternalismo elitista que muitas vezes colore as conversas ambientais.

Suas obras de arte, imagens e narrativas imersivas podem deixá-lo verde de inveja criativa. Mas o tom acessível de Leah torna mais fácil do que nunca implementar outros hábitos verdes.

Beckymary Hughes

Para a aspirante a blogueira de moda em todos nós, Becky Hughes é definitivamente 'aquela garota' quando se trata de todas as coisas ecológicas.

Sediada em West Midlands, Becky decidiu abandonar o fast fashion para sempre em 2018, embarcando em uma jornada econômica que lhe rendeu mais de 15,000 seguidores no Instagram.

Não é nenhum segredo que a moda 'sustentável' ou 'consciente' é frequentemente vendida para nós na forma de marcas de alta qualidade e peças artesanais com preços inatingíveis; influenciadores elegantes descansando em um loft bege de Nova York usando o Row ou Rejina Pyo. Por outro lado, a moda verde pode evocar imagens de sarongues de crochê ou calças de harém de cânhamo.

Becky dissipa esses mitos ultrapassados ​​com um estilo aventureiro e personalidade colorida. tornando cada roupa sua. Celebrando, em vez de esconder, as muitas vidas anteriores de roupas pré-amadas, Becky fará você ver a beleza em re-vestir, re-emparelhar e reciclar suas roupas repetidamente.

Orsoladecastro e Fash_rev

Se você é um veterano no cenário da moda verde, provavelmente já ouviu falar do Fashion Revolution e de sua Diretora Criativa Global, Orsola de Castro. A organização se expandiu exponencialmente ao aumentar a conscientização sobre o real impacto da indústria da moda em nosso planeta.

A Fash_rev extrai recursos de marcas, designers, ativistas políticos e amantes da moda para reformular nossa perspectiva sobre as roupas que compramos e vestimos. “E se tratássemos cada compra de roupas como uma compra de tatuagem – com o entendimento de que é essencialmente uma decisão permanente”, diz uma citação recente no feed do Instagram da organização.

O Fashion Revolution também encorajou os consumidores a desafiar as marcas que consomem, impulsionando legislações como a Lei da Moda, que deu passos cruciais para proteger os trabalhadores do vestuário e responsabilizar as empresas por práticas de produção antiéticas.

A fundadora Orsola de Castro é um testemunho do trabalho de sua organização. Seu amor por roupas é talvez mais evidenciado em seu livro 'Love Clothes Last'. Aqui de Castro postula a moda como uma 'segunda pele' escolhida através da qual forjamos relações com o planeta e com os outros. Ao consertar e revestir nossas roupas velhas, ela diz, costuramos e reparamos […] os rasgos e rupturas em nossa relação com a natureza e a sociedade'.

 

Boletim informativo Thred!

Inscreva-se no nosso boletim informativo para o planeta positivo

Acessibilidade